Brasil é um dos países campeões em acidentes de trânsito envolvendo bicicletas

Com cerca de 48 milhões de bicicletas, o Brasil tem a sexta maior frota de bicicletas do mundo, atrás apenas da China, Índia, EUA, Japão e Alemanha. A bicicleta é o meio de transporte individual mais utilizado no país. As bicicletas compartilham com pedestres os movimentos mais normais de 90% do total dos municípios brasileiros.

Apesar desta realidade, a infra-estrutura necessária para a utilização de bicicletas no país não está disponível em todo o lado e existem poucos estudos sobre bicicletas utilizadas como meio de transporte. Menos se sabe sobre os acidentes de trânsito dos ciclistas, apesar de serem frequentes em muitos países, causando mortes e deficiências, especialmente em crianças e jovens adultos 2–5.

Os estudos relacionados com acidentes de viação apontam para os dados relativos aos ciclistas que não são comunicados 6. Em Pelotas, Rio Grande do Sul, comparando informações de relatórios da polícia e atendimento de emergência por dois anos, encontrou 33,0% de sub-notificação em relação a acidentes com lesões corporais para este grupo. Em Londrina, Paraná, a cobertura da polícia para acidentes de bicicleta foi de 8,0%, enquanto os acidentes de carro foram de 72,0%

Estudos mostram que cerca de 1,2 milhões de pessoas em todo o mundo morrem todos os anos de acidentes de viação e mais de 90% dessas mortes ocorrem em países de baixa e média renda. Vale a pena notar que, para além do sofrimento familiar pelas mortes e deficiências físicas, os custos das vítimas para os sistemas de saúde são elevados. A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que as perdas anuais devido a acidentes de trânsito excedem US$ 500 bilhões.

No Brasil, o número de mortes e ferimentos graves ultrapassa 150 mil pessoas e o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) estima que o custo total anual dos acidentes seja de R$ 28 bilhões. As mortes dos ciclistas aumentaram de 1% (396 mortes) para 4% (1.556 mortes) entre 1998 e 2008, tendo o pico registado em 2006 (1.668 mortes).

No período 2000-2010, foram identificadas 32.422 mortes de ciclistas que sofreram traumas em acidentes de viação (CTAT) no Brasil, o que equivale a 8,3% de todos os acidentes de viação1.

No Brasil, alguns sistemas de informação fornecem dados sobre acidentes envolvendo ciclistas, tais como boletim de ocorrência (BO); Acidente de Trânsito de Registro do Relatório Nacional do Departamento de Trânsito (DENATRAN); de Notificação de Acidentes de Trabalho (CAT); Sistema de Informações Hospitalares do Sistema único de Saúde (SIH/SUS); Sistema de Informações sobre Mortalidade do SUS (SIM/SUS) e a Violência e o Sistema de Vigilância de Acidentes (VIVA — Pesquisa).

Entre estes, destacamos os três últimos, uma vez que são diretamente geridos pelo setor da saúde, possuem dados sobre o resultado do acidente, mostram a gravidade do acidente e alguns fatores associados ao acidente.

Este estudo destinava-se a descrever os acidentes envolvendo ciclistas registados no inquérito VIVA realizado em 2014 e a analisar os factores associados a estes acidentes.

You Might Also Like